Estudo, Eventos

Debates “Teoria Democrática & Internet”: Internet e Representação

Iniciado o segundo semestre letivo na Universidade de Brasília, o Cultura Digital & Democracia dá continuidade às suas atividades com um encontro presencial hoje, 03/09, às 20h30, na UnB. Ao longo dos próximos meses, o grupo continuará suas atividades, voltadas para o estudo e pesquisa de temas ligados à tecnologia de informação e comunicação: liberdade… Continuar lendo Debates “Teoria Democrática & Internet”: Internet e Representação

Estudo, Eventos

1º Semestre de 2014: retorno às atividades

Com o início do primeiro semestre letivo na Universidade de Brasília, o Cultura Digital & Democracia retoma suas atividades com um encontro presencial neste dia 17/03, às 19h, na UnB. Ao longo dos próximos meses, um grupo de estudos revisará os debates políticos sobre temas ligados à tecnologia de informação e comunicação: liberdade de expressão,… Continuar lendo 1º Semestre de 2014: retorno às atividades

Estudo, Observações

O perigo dos ebooks

por Richard Stallman (Presidente da Free Software Foundation) Tradução de Rodrigo Canalli Em uma época na qual os negócios dominam nossos governos e escrevem nossas leis, todo avanço tecnológico oferece aos negócios uma oportunidade de imporem novas restrições sobre o interesse público. Tecnologias que poderiam aumentar nossas habilidades são usadas, em vez disso, para nos… Continuar lendo O perigo dos ebooks

Estudo

Estudo de texto: O quê uma rede pode fazer?

Este é o primeiro estudo de texto realizado pelo grupo Cultura Digital e Democracia. Para tanto, escolhemos o texto "What can a network do?" (Qual o potencial de uma rede?), de Alexander R. Galloway. Trata-se de um dos artigos presentes no livro Cidadania e Redes Digitais, tendo sido escolhido para esse exercício inicial em função… Continuar lendo Estudo de texto: O quê uma rede pode fazer?

Cartografia da Cultura Digital, Estudo, Observações, Processos Judiciais

A Internet e o Judiciário brasileiro: fundamentos e desfundamentos

A leitura de decisões judiciais relativas à definição de competência de foro* para processar e julgar ações envolvendo atos praticados “na rede" tem provocado, quase invariavelmente, sentimentos de verdadeira estupefação, diante da gravidade das dificuldades cognitivas que o Judiciário brasileiro dá mostras de enfrentar. Em recente exemplo da incompreensão generalizada sobre aspectos básicos do funcionamento… Continuar lendo A Internet e o Judiciário brasileiro: fundamentos e desfundamentos